Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > FUNASE # > Artigos publicados > Fundaj nos Jornais > Fundaj nos Jornais > 23 DE SETEMBRO DE 2014
Início do conteúdo da página

23 DE SETEMBRO DE 2014

Publicado: Terça, 23 de Setembro de 2014, 10h54 | Última atualização em Quinta, 20 de Dezembro de 2018, 21h22 | Acessos: 1299

Clipagem ASCOM
Recife, 23 de setembro de 2014

 

:: Jornal do Commercio

Caderno C

Cinema

Amantes Eternos (Only lovers left alive, ING/FRA, 2014). Cinema da Fundação – 15h10. Drama. 14 anos.

 

:: Folha de Pernambuco

Opinião

ARTIGOS

Cinco Problemas da Escola

É necessário insistir na necessidade da clareza inicial e essencial quanto ao conceito e ao alcance da escola: centro de preparação de mão de obra qualificada para rodar a máquina produtiva e a tecno-burocracia, ou, sem desconsiderar este aspecto, espaço para a formação de pessoas com uma ampla e crítica visão da vida? Deste ponto de partida destaco algumas questões educativo-culturais.

1 - Atualmente, um aluno pode concluir o ensino médio sem ter a noção do que seja patrimônio cultural no seu amplo sentido, material e imaterial. Em geral terá informações fragmentadas acerca do patrimônio edificado, dadas pela materialidade manifesta de edifícios antigos, ou por comentários, denúncias e notícias em torno de descaso, tombamento, intervenção destrutiva ou inadequada por parte de proprietário ou representação do poder público. Com tal lacuna, será um cidadão pouco sensível à valorização dos bens de cultura e às políticas de preservação, tornando-se também um pernicioso transmissor. E se ocupar algum espaço de poder na vida pública, será uma desgraça. Veja-se hoje o descaso reservado aos espaços culturais públicos como bibliotecas, museus, arquivos, sempre preteridos diante do calendário de eventos festivos. Imagine-se um arqueólogo querendo convencer um prefeito tosco e com olhos de fe$ta, a financiar uma escavação. Eu morria de pena dos museólogos e bibliotecários. Hoje morro de pena dos arqueólogos.

2 - Dardos de mídia nos atingem diariamente, por todos os lados, num verdadeiro torpedeio de informações e peças publicitárias vendendo produtos, versões e ilusões. A espetacularização e o marketing se manifestam e dominam, estimulando o consumo de produtos de grife ou de ponta e serviços diversificados, incluindo-se aí os candidatos em disputas eleitorais e as religiões de resultados. Todos empenhados em fidelizar caninamente a clientela. É indispensável que se propicie aos estudantes os fundamentos para uma leitura crítica do universo da mídia, considerando a sua expressão econômica, a extensão, as áreas, a dinâmica, as interfaces, os bastidores. A escola pública não pode dar as costas a esta questão.

3 - É comum, nos municípios, existir em algum espaço a Galeria dos Prefeitos, cuja admiração é paralela à que ocorre em torno daqueles conterrâneos que, além dos limites municipais, assumiram destaque, ou mesmo a condição de celebridade, na vida política ou na atividade cultural. Esse culto bairrista e atrasado exige uma abordagem adequada, principalmente, de parte dos professores de história. Um esforço para situar essas figuras e o próprio município, no tempo e nos contextos socio-político-culturais. Qual o significado da ação e das posturas daquelas pessoas em âmbito estadual e nacional? A que correntes políticas ou culturais se vinculavam ou refletiam? É necessário possibilitar que um aluno do ensino médio veja a história política e cultural da sua cidade no quadro maior da história do estado, do país e do mundo.Aprendendo a integrar o universal e o local.

4 - Muitas vezes, na escola, o ensino de arte é restrito a uma ou outra das linguagens artísticas. Além disso, tomado como atividade de apoio para a veiculação de informações e campanhas. O que impede a apreensão da arte na sua dimensão epistemológica, como um dos quatro códigos de leitura da realidade, ao lado da ciência, da filosofia e da religião. É preciso que seja transmitido o diferencial da arte neste sentido geral. O trabalho a partir de uma linguagem específica - literatura, música, artes cênicas, plásticas, cinema etc - sendo conduzido para se assimilar o diferencial que marca a essência comum a todas as linguagens artísticas. Se ele ocorrer nos marcos de uma visão segmentada e instrumental, o essencial não terá sido feito. Teremos um adulto sem uma maior sensibilidade artística ou com bitolas. E neste particular, também um pernicioso transmissor.

5 - A formação para a cidadania, de viés universalizante, deverá ter um olho voltado para dentro e outro para fora da escola, valorizando o exercício da escala de direitos e deveres definida em instrumentos como a Declaração Universal de Direitos, as constituições federal e estadual, a Lei Orgânica do Município, o Estatuto da Criança e do Adolescente etc. Favorecendo que cada um defina a sua identidade em matéria de classe, etnia, crença, política, ideologia, sexualidade. Estimulando o convívio democrático na diversidade, nas relações entre indivíduos, grupos e representações. E reservando uma atenção especial a dois itens: a construção do projeto pedagógico e a autonomia dos grêmios estudantis, restaurada legalmente em 1986, mas ainda afetada por procedimentos oficiais que revelam a vigência de restos de ditadura.

 

Guia Folha

Roteirão

Cinema

Amantes Eternos / De Jim Jarmusch / Com Tilda Swinton, Tom Hiddleston. Casal de vampiros casado há mais de 100 anos vive uma vida rock’n’roll, ouvindo música, fugindo do sol e evitando matanças para obter comida. Eles têm traficantes que lhes fornecem a droga: sangue. A relação deles será testada pela visita da irmã e irresponsável dela, também vampira. Cinema da Fundação: 15h10. 14 anos.

 

:: Diário de Pernambuco

Viver

Cinema

Amantes Eternos – 14 anos. Cinema da Fundação. 15h10.

Fim do conteúdo da página

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o fundaj.gov.br, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de privacidade. Se você concorda, clique em ACEITO.