Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Agronegócio em pauta no InovaFundaj
Início do conteúdo da página

Agronegócio em pauta no InovaFundaj

Publicado: Quinta, 23 de Setembro de 2021, 13h24 | Última atualização em Quinta, 23 de Setembro de 2021, 13h24 | Acessos: 152

Evento virtual aconteceu nesta quarta-feira (22) e contou com um panorama das atividades atuais e uma explanação de estratégias para o futuro da área

Apresentar perspectivas nacionais e locais sobre o agronegócio. Essa foi a proposta da edição do InovaFundaj desta quarta-feira (22). A partir do tema “Da agricultura familiar ao agrobusiness: modelos viáveis para a região Nordeste”, o secretário adjunto de Inovação e Tecnologia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Cléber Soares; e o engenheiro agrônomo José Geraldo de França, professor titular da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE/Uast) puderam fazer suas contribuições. 

“Hoje estamos com uma nova iniciativa: a parceria com o Programa de Pós-Graduação da Fundaj. O tema foi escolhido pela coordenação do Programa e a partir dele foram escolhidos convidados com sólidas experiências na área, os quais trarão explanações sobre o cenário atual do agronegócio”, iniciou o diretor da Difor da Fundaj, Wagner Maciel.

Acontecendo de forma remota, a atividade foi transmitida no canal da Fundaj no YouTube. Tradicionalmente promovido pela Diretoria de Formação Profissional e Inovação (Difor) da Fundaj, com esta edição, o projeto iniciou uma série a partir de temas transversais, que contemplam as turmas de Pós-Graduação de Economia e Desenvolvimento Regional e Gestão Pública e Inovação.

Tendo como mediador o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Gabriel Maciel, a Live foi iniciada com a apresentação do panorama nacional sobre o tema em questão. Essa parte foi explorada pelo secretário adjunto de Inovação e Tecnologia do Mapa, Cléber Soares. “Faremos uma reflexão sobre o agronegócio brasileiro, tendo como mote a temática da inovação”, introduziu. 

Foi explanado que, até os anos 90, a força de trabalho era constituída por homem e máquina. Depois disso, com a virada do século, houve o surgimento do fator tecnologia e inovação, o qual passou a pautar as grandes mudanças do agronegócio. Nesse sentido, o secretário listou cinco grandes eixos estratégicos para pautar o futuro da área: 1- Sustentabilidade; 2- Bioeconomia; 3- Transformação Digital; 4- Inovação Aberta; e 5- Adição, Agregação e Captura de Valor sobre a Agricultura Familiar. “O Brasil precisa evoluir em conectividade no campo. Com isso teremos uma injeção bastante significativa na economia”, frisou Cléber.

Já para falar sobre a produção local, o engenheiro agrônomo José Geraldo foi convidado a contribuir com o debate. “Na maioria das cidades do Nordeste, a economia tem como base a agricultura. O segmento processa grande parte dos empregos localizados fora das capitais”, afirmou. Dando sequência, o convidado falou sobre o Nordeste Oriental, que gira em torno de setores como o sucroenergético, o do coco e o da carcinicultura. Além disso, comentou também sobre a produção do Nordeste Central e Ocidental.

Por fim, foi falado sobre os desafios da área, como as mudanças climáticas e seus impactos sobre a agropecuária, o de utilizar bem as águas salinas, o incentivo às pequenas áreas irrigadas e o uso intensivo de energias renováveis.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o fundaj.gov.br, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de privacidade. Se você concorda, clique em ACEITO.