Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Vauthier, Louis Léger

Publicado: Quarta, 12 de Junho de 2019, 13h55 | Última atualização em Quarta, 12 de Junho de 2019, 13h55 | Acessos: 711

Rita de Cássia Barbosa de Araújo
Historiadora e Diretora de Documentaçãoda Fundação Joaquim Nabuco

APRESENTAÇÃO

Vauthier e a construção do futuro, Pernambuco, 1840-1846

Em 2009, ao celebrarmos o Ano da França no Brasil, evocamos a expressiva figura do engenheiro francês da École Polytechnique e da École des Ponts et Chaussées Louis-Léger Vauthier que, entre 1840 e 1846, esteve em Pernambuco contratado pelo então presidente da província Francisco do Rego Barros, futuro Conde e Barão da Boa Vista, com a missão de impulsionar o progresso material dessa parte norte do Brasil.Por sua racionalidade técnica e administrativa, por seus estudos, projetos e suas obras de engenharia e de arquitetura sempre precedidos de criteriosa análise das condições climáticas e do contexto histórico, social, econômico e cultural locais, sem descuidar de considerar o estado de desenvolvimento tecnológico da província, Vauthier imprimiu definitivamente sua marca na memória sociocultural brasileira e, de modo particular, na paisagem urbana e cultural do Recife.

O catálogo Vauthier: fontes para o progresso. Pernambuco 1840-1846 baseia-se na pesquisa documental realizada pela mestra historiadora Rosilene Gomes Farias que, durante quatro meses, dedicou-se à leitura atenta e à anotação paciente dos manuscritos originais da Série Obras Públicas, pertencente ao acervo do Arquivo Público Estadual Jordão Emerenciano.

O trabalho de Rosilene, condensado neste catálogo e que contou com a competente colaboração das bibliotecárias da Fundação Joaquim Nabuco Lúcia Gaspar e Virgínia Barbosa, justifica plenamente sua existência por se constituir em precioso instrumental de investigação para todos aqueles interessados em estudar o início do processo de modernização do Brasil, em meados do século XIX. Paradoxalmente, torna-se tanto mais valioso quanto os manuscritos originais, que lhe deram o sopro de vida, se vão tornando de difícil, senão impossível, acesso para os pesquisadores face à inarredável ação do transcurso do tempo sobre a documentação e às mãos nem sempre cuidadosas sobre os frágeis papéis.Por intermédio do catálogo Vauthier: fontes para o progresso, ao qual se reúnem a realização do Colóquio Internacional Pontes e Ideias: Louis-Léger Vauthier, engenheiro francês no Brasil, a montagem da exposição Vauthier, um engenheiro de arte, ciência e ideias, a publicação do catálogo homólogo bem como a restauração de dezessete plantas assinadas ou vistadas por Vauthier, pertencentes ao Arquivo Público Estadual Jordão Emerenciano, sob execução do nosso Laboratório de Pesquisa, Conservação e Restauração de Documentos e Obras de Arte - Laborarte, a Diretoria de Documentação da Fundação Joaquim Nabuco associa-se a todos aqueles que, em tempos passados e no presente, reconhecem e valorizam as múltiplas formas de contato havidas entre a cultura francesa e a brasileira, na expectativa de que mais olhares, experiências e sensibilidades venham renovar o sentimento de universalidade e de humanidade que marcaram e marcam as relações de troca entre as duas culturas.

Recife, 15 de outubro de 2009

::Leia o artigo completo,
Faça download do arquivo em pdf

Fim do conteúdo da página

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o fundaj.gov.br, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de privacidade. Se você concorda, clique em ACEITO.