Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Revitalização de Bacias > Dunas de Casa Nova, Bahia, um oásis na caatinga do Rio São Francisco
Início do conteúdo da página

Dunas de Casa Nova, Bahia, um oásis na caatinga do Rio São Francisco

Publicado: Terça, 29 de Dezembro de 2020, 15h20 | Última atualização em Segunda, 25 de Outubro de 2021, 11h31 | Acessos: 1000

https://www.redegn.com.br/?sessao=noticia&cod_noticia=130694

29/04/2020



Dunas: o dicionário define como substantivo feminino plural Dunas. Montes e/ou colinas de areia que se movem de acordo com a ação do vento. No coração dos sertanejos que conhecem as Dunas de Casa Nova é um Oásis, um paraíso Mar de água doce. O que já era bonito agora pode ser traduzido como muito mais belo e exuberante.

Explica-se: após oito anos de escassez hídrica o Rio São Francisco dá sinais de aumento de volume de água, com a defluência (água que sai) da barragem de Sobradinho, Bahia, as Dunas de Casa Nova, Bahia, ganham um aspecto que merece o título: o Oásis do Sertão. A cheia do Rio São Francisco abençoa as dunas com mais beleza.

Desde o mês de março foi suspensa a visitação as Dunas do Velho Chico, Opará, na linguagem indígena, o Rio que é Mar. As Dunas está localizada a 58 km da sede de Casa Nova.

A professora e empresária Andréa Passos Araújo, moradora de Casa Nova, sempre foi apaixonada pelo rio São Francisco e as dunas. Andréa revela que o local não era ainda visitado, e tampouco muito conhecido e ela já vislumbrava o potencial turístico do local.

"Temos o privilégio de ter a melhor praia de água doce da região do norte da Bahia e do Vale do São Francisco", afirma Andréa ressaltando a beleza traduzida na mistura de águas cristalinas com a quase misteriosa presença da areia branca das dunas.

Andréa revela que é gratificante observar que quando os turistas chegam para conhecer as dunas, logo, todos ficam admirados com o contraste da vegetação da caatinga junto com um "mar de água doce". "É o nosso oásis do sertão. Sem falar na culinária regional da região comercializada nas barracas. Os passeios de quadriciclo e lanchas, as caminhadas, sol exuberante", diz Andréa.

De acordo com a professora, nas dunas de Casa Nova tudo é atração. Ela destaca a Ilha da Pedra, conhecida como o antigo Serrote da Cidade Velha, que foi inundada pela barragem de Sobradinho e também um ilha deserta de areia conhecida como Paraíso do Sertão.

No momento, o reservatório de Sobradinho ultrapassa 91% do seu volume útil. A Chesf avalia que Sobradinho chegará, no máximo, a 95% de sua capacidade, no início de maio.

Andréa faz planos objetivando ações que conservem o meio ambiente e provoquem uma conscientização das riquezas presentes nas dunas de Casa Nova.

"Com essa pandemia do coronavírus e a proibição  da visitação ao local, poucos tem o privilégio de contemplar o rio São Francisco neste momento de gratidão, respeito e paixão.  Quando voltarmos será realizado um trabalho de conscientização na preservação do Velho Chico, tanto com os turistas evitando jogar lixo nas margens do rio, quanto de agricultores ribeirinhos para evitar o uso de agrotóxicos no leito. Assim todos evitaram a poluição e evitaremos que aconteça o que diz a música de Sá e Guarabyra, o sertão vai virar mar, dá no coração, o medo que algum dia o mar também vire sertão", finalizou Andréa.

Redação redeGN Blog

Fim do conteúdo da página

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o fundaj.gov.br, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de privacidade. Se você concorda, clique em ACEITO.