Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Transposição do Rio São Francisco > Situação volumétrica dos reservatórios das hidrelétricas da CHESF e da CEMIG – 15/10/2021
Início do conteúdo da página

Situação volumétrica dos reservatórios das hidrelétricas da CHESF e da CEMIG – 15/10/2021

Publicado: Sexta, 15 de Outubro de 2021, 13h33 | Última atualização em Sexta, 15 de Outubro de 2021, 13h33 | Acessos: 118

Represa de Sobradinho, BA – Imagem do Google

Esse relato trata das informações atuais dos níveis de acumulações volumétricas dos principais reservatórios da Chesf e da Cemig, na bacia do Rio São Francisco, notadamente os de Três Marias (sob a responsabilidade da Cemig), localizado na região do Alto, e Sobradinho, Complexo de Paulo Afonso e Xingó (sob a responsabilidade da Chesf), localizados no Submédio São Francisco, locais onde é gerada a maior parte da energia elétrica do Nordeste, bem como o de Boqueirão de Cabaceiras, na Paraíba, que abastece Campina Grande e 18 municípios de seu entorno, com as águas do Rio São Francisco. Tais reservatórios acumulam água no período de novembro a abril, para disponibilizarem os volumes armazenados, no processo de regularização das vazões do Velho Chico, no período de maio a outubro. Estamos no dia 15/10/2021, portanto, em período no qual os reservatórios estão na fase de disponibilização volumétrica.

08/10/2021

111

* - Não há percentuais acumulados, devido à hidrelétrica operar a fio  d´água

08/10/2021

0000

* - Não há percentuais acumulados, devido à hidrelétrica operar a fio  d´água

Fonte: Chesf

http://www.chesf.gov.br/SistemaChesf/Pages/GestaoRecursosHidricos/GestaoRecursosHidricos.aspx  

Fonte: ANA

São Francisco (Boletim Diário) — Português (Brasil) (www.gov.br)

 

COMENTÁRIOS

João Suassuna – Pesquisador da Fundação Joaquim Nabuco

A partir de maio é iniciado o período de estiagem na bacia do São Francisco. Continuaremos os informes volumétricos semanais do rio, obtidos nos postos de observações da Chesf e da Cemig, localizados ao longo de sua bacia hidrográfica; das capacidades das represas de Três Marias, Sobradinho e Boqueirão de Cabaceiras (fonte de abastecimento de Campina Grande), bem como da situação volumétrica das principais represas geradoras de energia do País.

Na semana de (15/10), com o período de estiagem em curso, as represas existentes na calha do rio tendem a diminuir as suas capacidades volumétricas. Três Marias está com uma afluência de 238 m³/s (na semana passada estava em 52 m³/s) e uma defluência de 481 m³/s (a leitura passada estava em 478 m³/s). Esse balanço volumétrico resultou numa queda de sua capacidade para o percentual de 34,52%. Na semana anterior Três Marias estava em 35,48%. Portanto, houve uma queda de 0,96%.

No mesmo período, a afluência de Sobradinho subiu para 530 m³/s (na semana anterior era de 510 m³/s) e a sua defluência caiu para 1.628 m³/s (na semana anterior era de 1.645 m³/s). Nas atuais condições de gestão hídrica, Sobradinho diminuiu a sua capacidade volumétrica. Atualmente, ela está em 36,08% (na semana anterior estava com 38,41%). Portanto, houve uma queda, na semana, de 2,33%.

Por sua vez, a afluência de Itaparica é de 1.370 m³/s (na semana anterior era de 1.360 m³/s) e a sua defluência de 1.198 m³/s (na semana anterior era de 1.693 m³/s). Itaparica aumentou a sua capacidade volumétrica. Atualmente está com 62,32% (na semana anterior estava com 53,66%) havendo, portanto, um aumento de 8,66%.

A hidrelétrica de Xingó, que na semana passada apresentava uma afluência de 1.590 m³/s, na semana em curso diminuiu para 1.270 m³/s. Já a sua defluência, que era de 1.534 m³/s caiu para 1.189 m³/s. Xingó não apresenta informações sobre sua capacidade de acumulação devido a hidrelétrica operar a fio d´água.  

O percentual das capacidades dos reservatórios das regiões Sudeste/Centro-Oeste (os mais importantes do País em termos de geração elétrica) aumentou na semana em curso (15/10), estando em 16,82% - 13/10/2021. A leitura da semana anterior era de 16,49% - 06/10/2021 (dados ONS), havendo, portanto, um aumento de 0,33%. Considerando esse baixo percentual volumétrico acumulado nos reservatórios, a ANEEL determinou a cobrança das tarifas de energia elétrica dos brasileiros, na modalidade bandeira vermelha “escassez hídrica”, dando continuidade a essa taxa adicional até o final do ano em curso.

Segundo a AESA, na semana (15/10) o percentual volumétrico total de Boqueirão caiu para  34,92% (na semana anterior era de 35,28%). Portanto, uma queda na semana de 0,36%. Quando descontados daquele total, o percentual equivalente ao seu volume morto (8,20%), Boqueirão totaliza um volume útil de 26,72%. Com o projeto da transposição do São Francisco interrompido para Campina Grande, esse percentual preocupa os campinenses, porquanto, além de defluir para Acauã, 2,2 m³/s, a represa é responsável pelo atendimento das demandas hídricas de uma  população estimada entre 800 e um milhão de pessoas (a população de Campina Grande e mais 18 municípios de seu entorno).

Com os ingressos volumétricos oriundos de Boqueirão de Cabaceiras, na semana (15/10) a capacidade da represa de Acauã subiu para 13,20%. Na semana anterior era de 13,14%. Portanto, houve um aumento no período de cerca de 0,06%. Quando descontados, daquele total, o percentual equivalente ao seu volume morto (8,00%), Acauã aumentou o percentual de seu volume útil para 5,20% (na semana anterior era de 5,14%). Esse baixo percentual de acumulação da represa traz enormes prejuízos quanto à satisfação das demandas hídricas dos municípios por ela atendidos, além de enormes preocupações à conclusão do projeto  Acauã-Araçagi, em construção na Paraíba, o qual irá utilizar as águas do Velho Chico para a irrigação e para o abastecimento de populações.

A seguir, são informados os volumes que fluíram na semana em curso (15/10), nos postos de observações volumétricas entre Três Marias e a foz do Velho Chico. A defluência da UHE de Três Marias, que na semana anterior estava em 478 m³/s, na atual aumentou para 481 m³/s. No posto de São Romão, que na semana anterior estava com 731 m³/s, na atual caiu para 556 m³/s; no de São Francisco, que na semana anterior estava com 789 m³/s, na atual caiu para 620 m³/s; no de Bom Jesus da Lapa, que na semana anterior estava com 803 m³/s, na atual subiu para 812 m³/s; no posto de Morpará, que na semana anterior estava com 835 m³/s, nessa semana caiu para 805 m³/s; no posto de Juazeiro, que na semana passada estava com 1.934 m³/s, nessa semana caiu para 1.901 m³/s e em Propriá, que na semana anterior estava com 1.699 m³/s, na atual caiu para 893 m³/s.

Abaixo, as informações dos postos de mensuração de vazões do Rio São Francisco, sob a responsabilidade da Chesf e da Cemig, a fim de que se tenha uma ideia dos volumes defluentes nas represas de Sobradinho e Três Marias nos próximos dias, bem como as vazões regularizadas nas regiões do Alto, Médio, Submédio e Baixo São Francisco:

Dia 15/10: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 481m³/s; São Romão 556 m³/s; São Francisco – 620 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 812 m³/s; Morpará – 805 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.901 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 893 m³/s. (dados da Chesf).

Dia 08/10: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 478m³/s; São Romão 731 m³/s; São Francisco – 789 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 803 m³/s; Morpará – 835 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.934 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 1.699 m³/s. (dados da Chesf).

Dia 01/10: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 702m³/s; São Romão 726 m³/s; São Francisco – 805 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 812 m³/s; Morpará – 785 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.889 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 1.460 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 24/09: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 476m³/s; São Romão 721 m³/s; São Francisco – 747 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 794 m³/s; Morpará – 815 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.533 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 2.727 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 17/09: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 693m³/s; São Romão 682 m³/s; São Francisco – 758 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 785 m³/s; Morpará – 795 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.533 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 1.817 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 10/09: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 472m³/s; São Romão 588 m³/s; São Francisco – 752 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 697 m³/s; Morpará – 662 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.500 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 1.181 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 03/09: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 459m³/s; São Romão 482 m³/s; São Francisco – 546 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 616 m³/s; Morpará – 680 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.193 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 797 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 27/08: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 396m³/s; São Romão 480 m³/s; São Francisco – 546 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 624 m³/s; Morpará – 680 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.166 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 949 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 20/08: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 398m³/s; São Romão 492 m³/s; São Francisco – 565 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 632 m³/s; Morpará – 689 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.166 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 936 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 13/08: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 407m³/s; São Romão 497 m³/s; São Francisco – 575 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 632 m³/s; Morpará – 689 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.139 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 958 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 06/08: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 397m³/s; São Romão 494 m³/s; São Francisco – 585 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 640 m³/s; Morpará – 689 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.144 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 1.361 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 30/07: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 413m³/s; São Romão 494 m³/s; São Francisco – 570 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 648 m³/s; Morpará – 708 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.133 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 851 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 23/07: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 414m³/s; São Romão 501 m³/s; São Francisco – 585 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 656 m³/s; Morpará – 722 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.127 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 948 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 16/07: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 408 m³/s; São Romão 513 m³/s; São Francisco – 595 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 664 m³/s; Morpará – 726 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.133 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 824 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 09/07: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 404 m³/s; São Romão 513 m³/s; São Francisco – 605 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 672 m³/s; Morpará – 736 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.139 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 839 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 02/07: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 416 m³/s; São Romão 518 m³/s; São Francisco – 620 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 689 m³/s; Morpará – 765 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.150 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 809 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 25/06: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 410 m³/s; São Romão 530 m³/s; São Francisco – 650 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 697 m³/s; Morpará – 775 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.105 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 896 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 18/06: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 407 m³/s; São Romão 535 m³/s; São Francisco – 650 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 706 m³/s; Morpará – 790 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.522 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 1.133 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 11/06: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 402 m³/s; São Romão 539 m³/s; São Francisco – 665 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 723 m³/s; Morpará – 800 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.511 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 1.165 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 04/06: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 407 m³/s; São Romão 556 m³/s; São Francisco – 675 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 776 m³/s; Morpará – 825 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.500 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 1.189 m³/s. (dados da Chesf - Informações de 19/05/2021)

Dia 28/05: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 403 m³/s; São Romão 579 m³/s; São Francisco – 701 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 758 m³/s; Morpará – 840 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.500 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 1.189 m³/s. (dados da Chesf - informações de 19/05/2021)

Dia 21/05: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 404 m³/s; São Romão 583 m³/s; São Francisco – 716 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 767 m³/s; Morpará – 877 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.500 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 1.189 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 14/05: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 400 m³/s; São Romão 592 m³/s; São Francisco – 747 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 812 m³/s; Morpará – 951 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.489 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 1.196 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 07/05: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 400 m³/s; São Romão 686 m³/s; São Francisco – 826 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 885 m³/s; Morpará – 979 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.478 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 1.196 m³/s. (dados da Chesf)

Dia 30/04: UHE Três Marias (controle das defluências de Três Marias) 353 m³/s; São Romão 670 m³/s; São Francisco – 789 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 865 m³/s; Morpará – 1.006 m³/s; Juazeiro (controle das defluências de Sobradinho) 1.478 m³/s e Propriá (controle das defluências de Xingó) 1.208 m³/s. (dados da Chesf)

Comportamento das vazões do rio ao longo da quadra chuvosa (nov-abr) e de estiagem (mai-out).

Comportamento das vazões do Rio São Francisco, nos postos de observação de Três Marias, São Romão, São Francisco, Bom Jesus da Lapa, Morpará, Juazeiro e Propriá, de novembro de 2020 a abril de 2021 (período chuvoso)

Comportamento das vazões do Rio São Francisco, nos postos de observação de Três Marias, São Romão, São Francisco, Bom Jesus da Lapa, Morpará, Juazeiro e Propriá, de maio de 2020 a outubro de 2020 (período Seco)

Comportamento das vazões do Rio São Francisco, nos postos de observação de Três Marias, São Romão, São Francisco, Bom Jesus da Lapa, Morpará, Juazeiro e Propriá, de novembro de 2019 a abril de 2020 (período chuvoso)

Comportamento das vazões do Rio São Francisco, nos postos de observação de Três Marias, São Romão, São Francisco, Bom Jesus da Lapa, Morpará, Juazeiro e Propriá, de maio de 2019 a outubro de 2019 (período Seco)

Comportamento das vazões do Rio São Francisco, nos postos de observação de Três Marias, São Romão, São Francisco, Bom Jesus da Lapa, Morpará, Juazeiro e Propriá, de novembro de 2018 a abril de 2019 (período chuvoso)

Comportamento das vazões do Rio São Francisco, nos postos de observação de Três Marias, São Romão, São Francisco, Bom Jesus da Lapa, Morpará, Juazeiro e Propriá, de maio de 2018 a outubro de 2018 (período seco)

Comportamento das vazões do Rio São Francisco, nos postos de observação de São Romão, São Francisco, Bom Jesus da Lapa e Morpará, de novembro de 2017 a abril de 2018 (período chuvoso)

Comportamento das vazões do Rio São Francisco, nos postos de observação de São Romão, São Francisco, Bom Jesus da Lapa e Morpará, de maio de 2017 a outubro de 2017 (período seco)

Comportamento das vazões do Rio São Francisco, nos postos de observação de São Romão, São Francisco, Bom Jesus da Lapa e Morpará, de novembro de 2016 a abril de 2017 (período chuvoso)

Comportamento das vazões do Rio São Francisco, nos postos de observação de São Romão, São Francisco, Bom Jesus da Lapa e Morpará, de junho a outubro de 2016 (período seco)

Comportamento das vazões do Rio São Francisco, nos postos de observação de São Romão, São Francisco, Bom Jesus da Lapa e Morpará, de fevereiro a maio de 2016 (período chuvoso)

Comportamento das vazões do Rio São Francisco ao longo dos anos

2012

http://www.suassuna.net.br/2017/03/situacao-volumetrica-dos-reservatorios_97.html

2013

http://www.suassuna.net.br/2017/03/situacao-volumetrica-dos-reservatorios_21.html

2014

http://www.suassuna.net.br/2017/03/situacao-volumetrica-dos-reservatorios_22.html

2015

http://www.suassuna.net.br/2017/03/situacao-volumetrica-dos-reservatorios_25.html

2016

http://www.suassuna.net.br/2017/03/situacao-volumetrica-dos-reservatorios_72.html

2017

http://www.suassuna.net.br/2018/10/situacao-volumetrica-dos-reservatorios.html

2018

http://www.suassuna.net.br/2019/02/situacao-volumetrica-dos-reservatorios_8.html

2019

http://www.suassuna.net.br/2020/07/situacao-volumetrica-dosreservatorios_13.html

2020

http://www.suassuna.net.br/2021/02/situacao-volumetrica-dosreservatorios_12.html

Sobre o assunto

Situação dos Principais Reservatórios do Brasil – 08/10/2021

http://www.suassuna.net.br/2021/10/aquestao-energetica-situacao-dos_8.html

A excessiva defluência da hidrelétrica de Xingó, provocou enchente repentina no município de Canindé do São Francisco, SE

https://www.facebook.com/joao.suassuna.7/videos/856902818527441

Cinco hidrelétricas no Sudeste operam com menos de 10% dos reservatórios

http://www.suassuna.net.br/2021/09/a-questaoenergetica-cinco-hidreletricas.html

CRISE HÍDRICA EM CAMPINA GRANDE-PB: HISTÓRICO, RESPONSABILIDADES E ATUAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA

http://www.suassuna.net.br/2021/08/crisehidrica-em-campina-grande-pb.html

Seca agrava crise energética no Sul do país, que usará energia do Nordeste

http://www.suassuna.net.br/2021/08/a-questaoenergetica-seca-agrava-crise.html

Nordeste deve garantir energia para o Sul em meio à crise hídrica     

http://www.suassuna.net.br/2021/08/a-questaoenergetica-nordeste-deve.html

Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco: as águas não estão chegando ao seu destino final (artigo do pesquisador João Suassuna)

http://www.suassuna.net.br/2021/08/joaosuassuna-artigos-eixo-leste-da.html

 

Fim do conteúdo da página

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o fundaj.gov.br, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de privacidade. Se você concorda, clique em ACEITO.